Obrigado Levado ao(s) Extremo(s)

Hoje, dia 4 de maio, chega ao fim o Gap Year Levado ao(s) Extremo(s). 3 continentes, 22 países, 20 lugares património Mundial da UNESCO e muitas aventuras depois, estamos de regresso a Portugal, o nosso país preferido.

Ajudar crianças, andar à boleia, viver no deserto, passar o Natal com uma família desconhecida, tomar banho no Oceano Índico, viver sem água canalizada e eletricidade, fazer couchsurfing, conhecer pessoas com histórias de vida inspiradoras, dormir no chão, andar num chapa com 25 pessoas, comer com as mãos, cozinhar, tomar banho ao balde, cozer e lavar roupa à mão, foram algumas das experiências únicas que vivemos ao longo desta viagem.

Na última etapa encetámos um inesperado e alucinante périplo pela Europa, onde chegámos mesmo a acordar num país, almoçar noutro e ir dormir ao seguinte, a um ritmo cansativo, mas obviamente entusiasmante!

Terminada toda esta jornada é hora de fazer um balanço final. Voltamos pessoas diferentes. Mudámos a nossa maneira de ver o Mundo e sentimo-nos mais maduros.

Passámos fome. No presente, valorizamos mais a comida e deixámos de ser “esquisitinhos”.

Estivemos em países inseguros. No presente, valorizamos a segurança.

Andámos em chapas. No presente, valorizamos os nossos transportes públicos.

Estivemos longe da família. No presente, valorizamos mais os nossos ente queridos.

Vivemos sem água canalizada. No presente, valorizamos o “abrir uma torneira”.

Sofremos com a humidade desgastante e as elevadas amplitudes térmicas. No presente, valorizamos o nosso clima.

 *

Depois do contacto com pessoas, culturas e conceitos de felicidade tão diferentes, precisamos de menos para sermos felizes. Acabamos por relativizar os problemas, porque, afinal, estamos no paraíso!

Depois de termos vivido a experiência da nossa vida, não podemos deixar de agradecer à Fundação Lapa do Lobo, que financiou e apoiou este projeto incondicionalmente!

Devemos também um agradecimento especial a todos os seguidores da nossa viagem. Muito obrigado por todos os comentários e palavras de apoio! Sem vós teria sido muito mais difícil superar os maus momentos e esperamos que também vocês tenham gostado de viajar connosco.

UM ETERNO OBRIGADO! Até à próxima aventura!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Fora do normal

Os últimos tempos foram de muita pesquisa e reflexão. Tive nas minhas mãos matéria sobre a qual me debrucei profundamente para poder decidir o meu futuro pelo melhor dos caminhos.

Na nossa sociedade está ainda muito vincado um percurso que as pessoas julgam ser o mais correto na vida de um(a) jovem. Concluir o 12º ano, entrar na universidade, concluir licenciatura e/ou mestrado e ingressar o mundo do trabalho são as várias etapas desse percurso.

Após ouvir e ler muitas histórias de pessoas que tiveram e têm sucesso na vida decidi romper com este conceito. Decidi fazer um “gap year”, ou seja, apesar de ter entrado em engenharia aeroespacial optei por não me matricular. Vou então fazer uma pausa nos estudos e vou viajar durante cerca de 30 semanas pelo continente africano, onde ganharei competências e capacidades que a universidade não me fornece mas que, ao mesmo tempo, irão ser fundamentais no meu futuro tanto pessoal como profissional.

Preciso de agradecer à minha família e especialmente à Mané, a minha namorada, que sempre me apoiaram e me incentivaram a aceitar este GRANDE desafio. De agradecer também à Fundação Lapa do Lobo pelo seu crucial contributo, financiando na totalidade esta aventura estratosférica.

Mais novidades sobre o gap year serão dadas brevemente. Estejam atentos. Até já!